Fecha os Olhos e Escreve #70

large3

Baseado na citação de Tom Peters:

“Celebrate what you want to see more of” / “Celebra o que queres ver mais”

Celebra o que queres ver acontecer, celebra o que te anima. Celebra o que faz o teu sorriso aparecer, celebra sem fim. Celebra porque é isso que importa – celebra porque faz-te acreditar!

Celebra o que fizeste, celebra o que outros fizeram. Celebra sem palavras, celebra com gestos. Celebra, porque fizeste por isso acontecer – celebra porque só aconteceu.

Celebra sem “mas”, celebra sem “porquê”. Celebra porque concordas, celebra porque és tu. Celebra sem pedir algo em retorno – celebra, porque retorno ocorreu.

Celebra a tua vida, celebra a vida dos outros. Celebra a tua força, celebra a força de quem te rodeia. Celebra porque faz-te feliz – celebra porque faz-te quem és.

Somente, celebra.

Celebra o que já passou, celebra o que ainda não aconteceu. Celebra-te, porque tu mereces. Celebra-te, sem mais senão.

Celebra-te.

E não digas que não.

signature2

Anúncios

Fecha os Olhos e Escreve #63

large5

Era o último dia do verão, o último dia de esperanças solarengas que alimentam este coração. Era o último dia do verão, mas o primeiro dia da minha vida sem dor, porque tudo o que se perde, faz encontrar-nos. E ao passo que escrevia no meu diário de pensamentos, o qual tinha sobre tudo, ponha as peças do mundo em meu redor. Azul não era jamais azul, mas vermelho escarlate, e o vermelho era verde. Nada era o que era, nada era o que aparentava, nada era o que eu achava. Mas ao mesmo tempo tudo fazia sentido. O sol nascia onde se ponha, e eu acordava onde eu me sentia inteira. A lua surgia ao mesmo tempo que o sol, e eu sentia que a outra metade do meu coração estaria por aí. Só teria de continuar a lutar. E no primeiro dia do outono, eu já teria respostas a perguntas que nunca impus.

signature2

Fecha os Olhos e Escreve #62

large3

Quando alguém faz uma piada com algo que é importante ou foi marcante, o teu coração arde. Parece que o sorriso que outrora tinhas, lutas para manter enquanto desafias o teu corpo de não reagir negativamente ou mostrar quão magoa. Quando alguém pega nas tuas inseguranças e torna-as num riso alegre, sentes os teus interiores sendo torcidos como uma toalha antes de a pôr a secar, para toda a água sair juntamente com a tua felicidade natural. Não és tu, és as tuas inseguranças – ou assim sentes – já não és mais tu, as tuas qualidades e sorrisos, mas defeitos e pontos negativos. Quando alguém usa-te contra ti próprio, perdes toda a tua força, que uma vez manteve-te nesta terra, e desejas não ser tu. Quando tu… é tudo o que podias desejar ser, pois tu és tu e isso basta-me.

signature2

 

Fecha os Olhos e Escreve #49

AVISO: Peço desculpa pelo atraso… esqueci-me totalmente que hoje era dia de post!

large3

Tu és bonita. Tu és uma inspiração, uma obra de arte que todos querem admirar de perto. Tu és bela. Tu és a vida que levas nos teus ombros, tu és o brilho dos teus olhos. Mas ninguém diz-te essas palavras que tanto queres escutar com um sorriso nos lábios, agradecendo. Detrás da tua maquilhagem, ninguém vê tuas inseguranças. Mas se vissem a tua pele real, que diriam? Diriam que és bela, ou bonita? Ou que tuas imperfeições dominam a moldura? As pessoas regem-se pelas aparências, minha pequena menina, não pelo interior. Porque o teu interior é belo, é inspirador e bonito. Mas o teu exterior, não só diz isso, como diz que é imperfeitamente perfeita, e isso está bom. Tens falhas, mas todos temos. Ninguém é uma jarra de porcelana sem rachas, todos temos rachas, mas são as flores que lá pomos que dizem a nossa beleza. São as características que desenvolvemos com o decorrer dos dias – a nossa empatia, sorriso, simpatia – que nos definem. A maneira como mostramos aos outros quem somos.

Tu és bonita. Tu és bela. Com ou sem sombra e batom.

signature